Canto - Sônia Ruberti - www.falamaestro.com.br

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dicas & Toques
APRENDENDO A CANTAR...

Sônia Ruberti

Ela é  professora de piano e canto popular desde 1995, faz parte do corpo docente das escolas Tom sobre Tom e Canto do Brasil.
Nesta entrevista para a nossa web revista Fala Maestro, Sônia Ruberti nos traz importantes informações que, com certeza, serão muito úteis para quem busca a sua formação em Canto. Confira!
Foto Gustavo Thron
1. Como saber se uma criança tem “talento” para cantar?
R. Partimos do princípio que é possível a qualquer pessoa aprender a cantar ou tocar instrumentos musicais, desde que se interesse e se dedique ao estudo. No entanto, algumas crianças apresentam progressos rápidos no aprendizado, acima da média. Se uma criança, por exemplo, é afinada, lida bem com a pulsação/ritmo das canções e apresenta bons resultados rapidamente podemos dizer que ela tem “talento”. O talento e também as dificuldades que uma criança tem para cantar é identificado no decorrer das atividades da aula – músicas ou exercícios propostos.
2. Com quantos anos é adequado para uma criança iniciar os seus estudos de canto?
R. Antes dos 7 anos é aconselhável que a criança faça aulas de musicalização ou outros trabalhos em grupo em que ela possa cantar. De 7 anos em diante, no canto popular, ela já pode fazer aulas individuais, desde que sejam respeitadas características da voz infantil pois nesse período, do ponto de vista da anatomia, ela ainda está em desenvolvimento (faringe, laringe, pregas vocais, etc). É preciso cuidado para que a criança não faça esforços inadequados e se sinta confortável cantando. Não trabalho com canto lírico, mas sei que muitos professores dessa área não costumam dar aulas para crianças.

3. Como deve ser iniciado o estudo de canto?
R. O estudo de canto deve ser iniciado em aulas que privilegiem exercícios e canções sem grande complexidade, mas que o aluno goste para que ele se sinta motivado a cantar e consiga aos poucos se desinibir. O grau de dificuldade das atividades propostas deve ser aumentado gradativamente, de acordo com o desenvolvimento de cada aluno.

4. Quais são as diferenças do aprendizado de canto quanto aos gêneros: canto popular e canto erudito?
R. Os gêneros popular e erudito não se diferenciam somente pelo repertório. Questões técnicas e interpretativas, apesar de terem pontos em comum, não são apresentadas da mesma forma nos dois gêneros. O canto popular se aproxima da voz falada, dá grande importância ao texto da canção, tem emissão, tessitura e outros fatores trabalhados de forma diferente do canto lírico. Nesse ponto a técnica vocal usada na aula pode seguir caminhos bem diferentes, de acordo com a opção do aluno pelo lírico ou pelo popular.

5. Para se aprender canto é importante estudar teoria musical?
R. O aprendizado da teoria musical não é obrigatório para o cantor, mas pode ajudar muito, então, aconselho os alunos que querem levar a sério o canto a estudar teoria musical.

6. Quais são as maiores dificuldades para se cantar?
R. Em geral, os alunos iniciantes acham difícil trabalhar a respiração e também a afinação, especialmente nas atividades que têm uma maior variação entre graves e agudos. Em alguns casos há também uma timidez, uma inibição para soltar a voz.
À medida que avançam nos estudos, a interpretação pode ser também uma dificuldade, pois o aluno vai percebendo que a técnica precisa ser aliada à expressividade/musicalidade para garantir uma boa execução do repertório.

7. Qual seria o tempo mínimo para alguém se dedicar diariamente ao estudo do canto para ter uma boa evolução no aprendizado?
R. Para a criança recomenda-se uma dedicação menor, de 15 a 30 minutos para que ela não se sobrecarregue. Já para adolescentes e adultos esse tempo pode aumentar até uma hora. Vale ressaltar que isso varia de um aluno para outro, se ele tem maior ou menor dificuldade, se quer se profissionalizar ou se canta apenas por lazer, enfim, a dedicação diária depende dos objetivos que cada aluno tem.
Foto Helyana Manso
8. O que você diria para quem pretende cantar?
R. Não importa se seus objetivos são profissionais ou não. Cantar exigirá de você dedicação, estudo. Acima de tudo é preciso gostar muito do canto para que esse estudo não seja um fardo e sim um prazer. Assim será possível atingir bons resultados e você se sentirá um cantor satisfeito, realizado com a sua arte. É importante também que o cantor tenha bastante cuidado com a saúde vocal, em qualquer idade ou estágio de aprendizado, para evitar doenças e outros desgastes da voz que prejudiquem sua atuação.
 
 
9. Qual é o campo de atuação profissional para um (a) cantor(a)?
R. Há diversas possibilidades de atuação profissional para um cantor. Entre elas, ele pode atuar em projetos solo, como vocalista de bandas, como backing vocal, também em grupos vocais e corais. Esses trabalhos são possíveis tanto em shows e eventos quanto em gravações de estúdio. Outro ramo é o de gravações para publicidade (jingles). No teatro, pode cantar em musicais e em óperas.
Também pode trabalhar como professor em aulas individuais ou coletivas, em cursos livres ou escolas/faculdades profissionalizantes. Outro campo é o de preparador vocal de corais.
O campo de atuação vai variar de acordo o que a formação/escolaridade do profissional e também de acordo com o gênero de canto (lírico/popular) escolhido.


Sônia Ruberti
é bacharel em piano pela ECA-USP, sob orientação da professora Heloísa Zani. Estudou canto popular com Solange Sá e Regina Machado e piano popular com Ana Fridman e Mariô Rebouças.
          
Foi pianista na peça “A Aurora da Minha Vida” na ECA-USP, em 2000, com direção de Iacov Hillel e em “Senhora dos Afogados”, no teatro Sérgio Cardoso, com direção de Zé Henrique de Paula, em 2009.

Desde abril de 2008, integra a equipe de cantores dos Trovadores Urbanos além de tocar e cantar em shows e eventos.

Como cantora também gravou composições de Fabio Madureira e Emmanuel de Souza. Toca e canta no duo 6 por duas com Helyana Manso. É cantora do Coral Graber com o qual já gravou três CDs e participa de eventos corporativos e beneficentes.

É professora de piano e canto popular desde 1995 e faz parte do corpo docente das escolas Tom sobre Tom e Canto do Brasil.

Conheça mais sobre o trabalho de Sonia Ruberti nos links abaixo:

e

Contatos:
Tom sobre Tom - Escola de Música
Rua Inácio Pereira da Rocha, 127, Pinheiros, São Paulo, SP.
e-mail: escolatomsobretom@gmail.com
 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal