Amauri Andrade Franco - www.falamaestro.com.br

Busca
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Quem faz a Música? > Músicos e Letristas
AMAURI ANDRADE FRANCO

Ele é um grande músico, daqueles que a Arte “Música”, muito se orgulha.
Além do seu talento, Amauri Andrade Franco é um estudioso de seus instrumentos. Ele busca a perfeição na execução e a emoção em suas interpretações. Por isso, é completo.
Além dos instrumentos musicais que executa, Amauri Andrade Franco é dono de uma bela voz e a utiliza com brilhantismo quando canta.
Confira a sua entrevista para a nossa web revista musical Fala Maestro – www.falamaestro.com.br

1. No que difere o estudo da Guitarra em relação ao Violão?
R. A guitarra, apesar de ser o mesmo violão – só por aqui ela é chamada de guitarra – tem uma forma bem diferente de aprender. O melhor mesmo, é ter uma iniciação no violão e depois passar para a guitarra. Isso dá um maior entendimento, uma maior consistência na hora de articular os movimentos.

2. Quando se deve utilizar palheta e quando é melhor utilizar os próprios dedos para tocar guitarra?
R. É algo que está mais nas ideias do músico (Hélio Delmiro só toca com os dedos). Quando os arpejos têm uma grande velocidade, como no estilo country, deve-se utilizar um dedilhado híbrido (dedos e palhetas), quando é mais roqueiro, aí entra a vez de se tocar só com palheta (salvo no two hand tapping), se for um trabalho mais próprio do cool jazz, ou MPB, ou tocar algo que exija algo mais próximo de um som com mais sustain natural do instrumento, aí os dedos representam a providência melhor.

3.    De quanto em quanto tempo deve ser trocado o encordoamento de uma guitarra?
R. Um encordoamento de guitarra deve ser trocado a cada 18 horas de uso, apesar de alguns aguentarem mais e outros, menos. A melhor forma de examinar quando ou não se deve trocar o encordoamento, é só perceber se o som ainda tiver um certo brilho e as cordas não estiverem enferrujadas. Quando esse brilho acaba, ou surge a ferrugem, é hora de trocar.

4.    Para quem quer tocar um determinado gênero musical existe um tipo específico de encordoamento ou isso depende do próprio instrumentista, da sua maneira de tocar?
R. Existem vários encordoamentos que podem responder melhor em um ou em outro gênero. Isso é mais uma das tarefas que o próprio guitarrista deve conferir, porque não é algo que vem com especificação de loja. Para o violão clássico tem um encordoamento que as cordas são lisas, para não fazer aquele ruído dos dedos nas cordas.

5.    Qual é a primeira lição para quem quer tocar guitarra?
R. A primeira lição é ouvir. Ouvir muito, toda a gravação da música e todos os instrumentos utilizados, mesmo que pouco apareça a guitarra, ou mesmo que não tenha, para entender o que e como fazer para a melhor execução. Em seguida aprender o que produz o som (articulação, mudança de posição, batida do dedo no braço, etc.)

6.    Para quem quer aprender a improvisar, criando solos sobre uma determinada sequência de acordes, qual é o melhor caminho?
R. Primeiro ouvir a sequência de acordes, depois conferir quais os tipos de escalas e de fraseados que se podem aplicar. É bom lembrar que os fraseados dos métodos nem sempre podem ser utilizados (eu só consegui usar dois, e, assim mesmo, num deles tive que adaptar algumas coisas).

7. As guitarras fabricadas no Brasil são de boa qualidade?
R. Atualmente, graças a Deus, a maioria é de boa qualidade. Algumas marcas são melhores que muitas guitarras importadas. Certas marcas brasileiras já estão sendo produzidas na Coreia, para reduzir os custos.

8. Que produto deve ser utilizado para limpar uma guitarra?
R. Qualquer um que tenha aquele álcool de limpar CD para limpar a parte elétrica. Para o corpo e braço, existem à venda produtos que podem resolver isso.

9.    Os canhotos devem comprar guitarras especiais ou podem ser as mesmas  utilizadas pelos destros?
R. Depois que o Kiko Loureiro entrou no Megadeth, pode (ssssssssssss). Ele é canhoto, mas toca como destro. Na verdade, depende unicamente do canhoto. É bom lembrar que a maioria das coisas criadas e usadas no dia-a-dia servem somente para destros (até o aperto de mão tem isso), mas se o músico se sente melhor dedilhando com a mão direita, isso não traz nenhum problema.  Só não deve tocar como canhoto uma guitarrra para destros (os fãs de  Hendrix vão ficar loucos ouvindo isso, mas Hendrix podia e muitos outros vão poder.)

10. Quais são os campos de trabalho para quem quer se tornar um músico profissional, um guitarrista?
R. Existem vários campos: side-man, tocar em uma banda de qualquer gênero, dar aulas, fazer shows, tocar em trio elétrico, e outros campos que, de repente podem aparecer, graças à globalização acelerada em que estamos vivendo. Eu já toquei até em porta de loja.

11. Amauri, conte-nos um pouco sobre a sua carreira musical como excelente guitarrista.
R. Comecei estudar violão no final de 1968 (faz tempo!!!!), passando a tocar em bandas, a partir de 1970, quando tive efetivamente o contato com a guitarra elétrica. Mais tarde passei a tocar em bandas de baile e acabei saindo da minha terra, tentando a sorte em São Paulo, onde aprendi muito, sempre estudando no Conservatório de Tatuí, onde fui seduzido pelo violão clássico e consegui conviver bem com os dois tipos do instrumento (isso é mais raro que um canhoto tocando como destro). Mais tarde acabei sendo side-man, fazendo recitais, dando aulas de violão, guitarra, baixo, cavaquinho e... viola caipira, isso mesmo, viola caipira. Hoje estou por aqui, em Mongaguá, lutando pela minha aposentadoria que ainda não chegou, mas ainda continuo estudando, tocando e deixando muita gente ressabiada com o tipo de aprendizado que eu uso. Em tempo, muito obrigado pelo “excelente guitarrista”.

Instrumentos utilizados atualmente por Amauri Andrade Franco:
• guitarra Phoenix  Les Paul
• violão Crafter de cordas de nylon;
• violão Sugyama, feito a mão;
• viola Giannini.

 
Busca
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal